top of page

Como a Inteligência Artificial está melhorando a acessibilidade da Web



A cada ano que passa, a Inteligência Artificial (IA) está crescendo a um ritmo frenético.

O que antes era considerado possível apenas na ficção científica agora está fazendo ondas na ciência da computação e no local de trabalho. De aparelhos inteligentes a carros autonômos, ele continua avançando em quase todos os aspectos de nossas vidas, especialmente no mundo digital.


Um fator que vai impulsionar ainda mais o uso de inteligência artificial e as tecnologias como machine learning e a melhoria da infra-estrutura da rede de internet 5G, que esta sendo implementada no Brasil.


No entanto, um dos benefícios menos conhecidos da IA ​​é a acessibilidade na web. Várias tecnologias baseadas em IA estão tornando o mundo digital mais acessível para pessoas com deficiência. A IA está ajudando pessoas com deficiência a interagir com a Web da mesma forma que todo mundo faz.


As soluções baseadas em IA estão provando ser um divisor de águas no momento em que o risco de uma ação judicial relacionada à acessibilidade está aumentando. Nos Estados Unidos em 2018, o número de casos de acessibilidade de sites arquivados no governo federal dos Estados Unidos, disparou para 2.285, acima dos 815 do ano anterior. No primeiro semestre de 2019, o total de registros chegou a mais de 3.200, quebrando todos os recordes anteriores.


Aqui no Brasil o projeto de Lei 4238/21 , institui penas administrativas para o não cumprimento da acessibilidade eletrônica prevista no Estatuto da Pessoa com Deficiência. Essa lei já determina ser obrigatória a acessibilidade nos sítios da internet mantidos por empresas com sede ou representação comercial no País, ou por órgãos de governo, para uso da pessoa com deficiência, garantindo-lhe acesso às informações disponíveis. "Ocorre que o texto atual da lei é pouco efetivado, razão que nos motiva a redigir o projeto", explica o autor da proposta, deputado Felipe Rigoni (PSL-ES).

Em análise na Câmara dos Deputados, o projeto estabelece que o não cumprimento ou cumprimento parcial da obrigação de acessibilidade nos sites sujeitará a empresa e os órgãos de governo às seguintes sanções administrativas:

  • advertência, com indicação de prazo para adoção de medidas corretivas;

  • multa diária, considerando-se o faturamento total da empresa;

  • suspensão do site por prazo determinado.

Vamos dar uma olhada em algumas das maneiras pelas quais a IA já está mudando o mundo da acessibilidade de sites.


Aplicação que torna site acessível

Otimização de sites para leitores de tela usando nossa IA e reconhecimento de imagem, em colaboração com o Google e o Clarifai


Nosso sistema SL Acessível, utiliza tecnologias de inteligência artificial para tornar sites compatíveis com leitores de tela. Ele escaneia, analisa e entende a estrutura do site, papéis dos elementos, formulários e muito mais, tornando-os todos compatíveis com os padrões de acessibilidade da WCAG 2.1.


Fornece uma alternativa de texto precisa às imagens, para que os cegos saibam o que é mostrado na tela. Garante automaticamente que o site seja totalmente navegável usando apenas a tecla TAB, incluindo menus suspensos, pop-ups e formulários. Além disso, todos os elementos navegáveis ​​têm focos visíveis e são clicáveis ​​usando ENTER.


A solução permite que pessoas com deficiência visual ajustem quase qualquer aspecto do site às suas necessidades. Ele pode aumentar ou diminuir os tamanhos das fontes, adicionar ou remover espaçamento entre palavras, letras e linhas, alterar a fonte completamente ou até mesmo alterar cores e contraste.

Para saber mais sobre esta solução, você pode solicitar uma demosntração ou teste pelo link:


Tradução de idiomas e legendas

imagem da internet


O uso de algoritmos Automated Speech Recognition (ASR) baseados em tecnologia de IA está criando novas possibilidades para criar legendas e legendas para conteúdo de vídeo online. Essas tecnologias estão ajudando os usuários surdos e com deficiência auditiva a interagir com o conteúdo de vídeo.


Esses programas de computador não apenas podem fornecer legendas ao vivo, mas também podem melhorar seu desempenho por autoaprendizagem. Assim, um sistema ASR pode aprender a fornecer melhores legendas ao longo do tempo.


Várias empresas líderes em tecnologia também estão trabalhando no desenvolvimento de várias traduções de idiomas e soluções de legendagem para deficientes. Como parte de seu objetivo de criar uma Web mais inclusiva, a Microsoft criou o Microsoft Translator , uma tecnologia de comunicação com inteligência artificial para deficientes auditivos.


Disponível em mais de 60 idiomas, a Microsoft fez parceria com vários institutos educacionais para melhorar o acesso de alunos com deficiência. Cerca de 1.500 alunos surdos e com deficiência auditiva que são parte integrante da vida no campus do Rochester Institute of Technology estão aproveitando essa tecnologia.


Outra tecnologia exemplar baseada em IA que está ajudando a melhorar a acessibilidade na web é o Google Tradutor. Com o novo sistema Google Neural Machine Translation (GNMT), o Google conseguiu aumentar a precisão de seu tradutor em tempo real.


A GNMT reduz os erros de tradução em mais de 55%-85% . O sistema também deu origem ao conceito de tradução frase por frase e ideia por ideia, em vez de tradução palavra por palavra. Embora a tecnologia ainda não seja perfeita, ela representa um marco significativo.


Reconhecimento Automático de Imagem

imagem da internet


Seja Instagram ou Facebook ou mesmo blogs, as imagens são parte integrante da Web. Infelizmente, usuários com deficiência visual e cegos não conseguem visualizar e entender a referência dessas imagens. No entanto, o processamento de imagens baseado em IA está ajudando os usuários com deficiência visual a reconhecer as imagens.


O Google desenvolveu um algoritmo avançado chamado Google Vision API , que usa redes neurais para reconhecer imagens. Com esta ferramenta, usuários cegos saberão se a imagem é de um gato ou de um humano. Ele também tem a capacidade de determinar se a imagem pode aparecer na categoria de pesquisa segura.


O Facebook tomou medidas semelhantes quando lançou sua API de reconhecimento de imagem em 2016. Alimentada por redes neurais e aprendizado de máquina, essa tecnologia pode descrever imagens para usuários cegos e com deficiência visual.

No entanto, você ainda precisará usar o Alt Text porque essa tecnologia ainda está em sua infância. Levará mais alguns anos até que as APIs possam descrever imagens com precisão.


Reconhecimento Facial

imagem: Freepick


Na maioria dos casos, você precisa usar uma senha ou um PIN de quatro dígitos para fazer login em seu laptop ou telefone para acessar a Internet. Com o software de reconhecimento facial baseado em IA, no entanto, a acessibilidade na Web é fácil para usuários cegos e com deficiência visual, pois elimina a necessidade de usar senhas.


Muitos desenvolvedores de sites e empresas de tecnologia também estão experimentando o reconhecimento facial como uma alternativa ao CAPTCHA online. Usuários com deficiência visual e cegos geralmente têm dificuldade em preencher o código CAPTCHA, que é uma medida de segurança essencial em muitos sites para evitar bots.


Resumo das informações


Embora a Web esteja repleta de imagens e vídeos, ela ainda é composta em grande parte por conteúdo de texto. Embora seja mais fácil para usuários com deficiência visual interagir com o conteúdo de texto usando leitores de tela, ler documentos longos, artigos e postagens de blog não é fácil.


Muitas empresas estão usando algoritmos baseados em IA para criar resumos de texto mais curtos de artigos volumosos. Ele pode ajudar a dividir informações longas e complicadas em partes digeríveis para usuários cegos e com deficiência visual.


A Salesforce tem estado na vanguarda do desenvolvimento dessa tecnologia. A empresa fez novos avanços no processamento de linguagem natural. O software usa uma combinação de um modelo de geração de palavras mais contextual e Aprendizado por Reforço (RL) para fornecer resumo de texto altamente preciso e legível.


Leitura labial automática

imagem da internet


Semelhante à criação de legendas ao vivo para conteúdo de vídeo, um algoritmo automático de leitura labial ajuda a fornecer acesso à Web para pessoas com deficiência auditiva. O DeepMind do Google é um dos melhores exemplos dessa tecnologia.


O DeepMind , desenvolvido com base em mais de 5.000 horas de TV, incluindo programas como Newsnight, BBC Breakfast e Question Time, é capaz de identificar quais movimentos labiais se relacionam com quais palavras. No teste piloto, dos 200 clipes selecionados aleatoriamente do conjunto de dados para decifrar, a IA traduziu corretamente 46,8%.

O algoritmo pode ajudar usuários surdos e deficientes auditivos com fala em tempo real em tradução de texto com maior precisão. No entanto, esta tecnologia ainda está sendo aperfeiçoada para produzir melhores resultados.


Outro grande avanço no campo de reconhecimento de voz ou reconhecimento de fala é o Projeto Euphonia do Google . Essa tecnologia baseada em IA está ajudando os computadores a decifrar vários padrões de fala humana para criar melhores transcrições para deficientes. Ele pode ajudar pessoas com deficiência de fala ou que não podem falar a acessar a Web com gestos e sons de mão em vez de uma fala perfeita.


O futuro parece emocionante

A IA é uma das tecnologias de evolução mais rápida do planeta no momento. As invenções mencionadas neste artigo são apenas o começo. Nos próximos anos, provavelmente veremos muito mais invenções que aumentarão o desempenho das tecnologias assistivas.


As tecnologias assistivas baseadas em IA apresentam uma maneira facil, escalável e acessível de superar esses problemas.


Além disso, essas tecnologias podem ajudá-lo a divulgar a necessidade de acessibilidade na web e a facilidade com que ela pode ser incorporada. Hoje já é uma realidade, a ferramenta que pode transformar qualquer site, mesmo um grande site de e-commerce, em um site totalmente acessível em apenas alguns cliques, quer saber como click aqui.


Estudo sobre o mercado, o que diz a Gartner

Como você pode ver, várias tecnologias baseadas em IA estão sendo introduzidas para tornar a Web mais acessível para os deficientes. Embora muitas empresas e profissionais ainda estejam relativamente céticos em relação a estas evoluções, já temos estudos que demosntram que estas tecnologias já são uma relidade.

Um estudo da Gartner entitulado Guia de mercado para acessibilidade digital, publicado em 6 de outubro de 2021 que diz:


A IA está alimentando as ferramentas de última geração


A tendência mais notável no mercado de acessibilidade digital é a introdução da IA. Um número crescente de fornecedores de acessibilidade digital está experimentando IA visual e aprendizado de máquina para aumentar drasticamente a taxa de eficácia de suas ferramentas de digitalização. O estado da arte atual é uma taxa de eficácia de 30% a 50%, mas as tecnologias de visão computacional alcançaram taxas de eficácia em torno de 70% e o objetivo é que elas atinjam 100% de identificação de problemas. Se for bem-sucedida, a tecnologia de varredura de acessibilidade alimentada por IA visual pode atrapalhar o mercado e reduzir significativamente, ou até mesmo eliminar, a necessidade de humanos identificarem problemas de acessibilidade. Embora o Gartner espere que a correção automática de problemas também aumente, a maioria das correções continuará sendo feita por engenheiros de software por meio de backlogs de produtos.


direitos reservados Gartner


Esperemos que, nos próximos anos, a IA possa até ajudar a tornar a Web completamente acessível. Portanto, você precisa começar a incorporar acessibilidade em seu site para reafirmar seu compomisso com a responsabilidade social.



Este artigo utilizou as seguintes fontes:

  • MANISH DUDHAREJIA 10 de junho de 2020 / artigo artigo "Como a IA está melhorando a acessibilidade da Web"

  • Guia de mercado para acessibilidade digital Publicado em 6 de outubro de 2021 - ID G00 757800 Gartner Group

  • Reportagem – Lara H. Edição – Natalia Doederlein Fonte: Agência Câmara de Notícias

Marcos Alencar - Consultor em Acessibilidade Sinal Link Acessibilidade

e-mail: vendas@sinallink.com.br

Commentaires


Posts Em Destaque

Posts Recentes

Arquivo

Procurar por tags

Siga

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page